2

Sites Grátis no Comunidades.net
2

* O Bar do Alcides não faz favores a ninguém!
* É apolítico e imparcial!
* Todos os portugueses são vítimas da MAÇONARIA, que continua destruindo a nossa Nação!

"Manifesto Anti-Maçonaria" in O BAR DO ALCIDES

O Bar do Alcides exige que as máximas instâncias do Estado Português ilegalizem de imediato a Maçonaria ou as diferentes maçonarias, ramos maçónicos e lojas maçónicas existentes em Portugal, assim como todas as instituições por ela criadas que atentam contra o Estado de direito e contra a legalidade democrática.

A maçonaria põe em causa a representação e responsabilidade dos partidos políticos, a legalidade e representatividade democrática e a transparência da sociedade portuguesa.

Um Estado democrático existe para servir os seus cidadãos e não para que uma minoria elitista e sócio burguesa organizada numa seita ou numa máfia maçónica infiltrada nas mais altas instâncias do Estado se sirva dele para atingir os seus fins políticos, financeiros e obscuros, chegando mesmo a conspirar contra o próprio Estado democrático.

Já bastava a Portugal os irreparáveis danos causados pela grande seita satânico-materialista (com o seu poder, riqueza, terrenos, propriedades, edifícios, castelos entre outros bens imobiliários que a tornam na maior empresa não só de Portugal como do mundo inteiro - tudo conseguido à custa das terras e das riquezas sacadas aos povos nativos de Portugal desde à séculos!) da Igreja de Roma.

A Maçonaria é mais do que uma feira de vaidades, onde qualquer criatura burguesa (alguns terão mesmo vindo da ralé, mas que por vaidade social, ganância pessoal, ambição materialista ou por carreirismo político, terão através da corrupção, de cunhas ou do tráfico de influências, subido na pirâmide social...) da elite tuga alimenta o seu ego-deslumbramento e obtêm "influências" para a engorda das suas contas bancárias à custa do empobrecimento do país e do povo trabalhador que paga os seus impostos para o erário público mas que acabam sempre nos bolsos dos maçons ou maçon (faça-se aqui um intervalo, só para informar que na língua portuguesa a palavra correta é maçon, ou até maçon ou mação, mas nunca maçom com "m" final e como atualmente e erradamente é escrita esta palavra pelos analfabetos dos estrangeirismos da imprensa e das brasileirices agudas "universitárias" - já agora, como é que os cavernosos "doutores" da língua portuguesa querem escrever o plural desta palavra com "m" final? - continuemos..., porque o Maçon é membro da Maçonaria e não da maçomaria - repararam no "m" final ó "doutores" do regime tontinhos da comunicação social?) de Portugal.

A maçonaria (de obediência inglesa) introduzida em Portugal por volta de 1735 segundo a maioria dos entendidos, é muito mais do que um grupo de pressão elitista económico-financeiro e político-social, porque os seus membros vão muito para além do que a legalidade democrático e do Estado de direito impõe, a maçonaria não tem limites na sua sede de poder e do tráfico de influência em todas as esferas da sociedade portuguesa (eles chegam a recrutar ou a convidar novos membros dentro dos Tribunais e da própria Assembleia da República).

Portanto as maçonarias não são um lóbi inofensivo e são muito mais do que um lóbi.

A maçonaria (ou os diferentes ramos e lojas da maçonaria) é de facto um autêntico Estado dentro do próprio Estado minado como um cancro pelo império do polvo maçónico elitista burguês.

Se no mundo atual a Maçonaria pode ser considerada como a guarda pretoriana do capitalismo ou do grande capital (até sacerdotes e padres "cristãos" que não compreendem a mensagem do Evangelho e até mesmo alguns agiotas judeus do capitalismo selvagem chegam ao seu topo!), em Portugal ela é mesmo muito mais e faz muito mais do que isso, ela chega a ser uma força de choque ou uma espécie de corpo de intervenção da elite burguesa portuguesa (ou de uma das suas fações) organizada em moldes de gangues mafiosos, preparados para o assalto ao poder, às grandes empresas e às estruturas do Estado democrático que assim fica minado.

Atrofiando cada vez mais o país ressecado e entravando mesmo qualquer progresso em Portugal, que continua a ser o país mais centralista e o único Estado medieval da Europa.

Entre os muitos males de que padece este país, muitos deles podem ser imputados ou sido causados pela Maçonaria portuguesa (independentemente das suas diferentes obediências, sejam regulares ou irregulares).

Hoje sabemos que são os maçons (infiltrados em toda a direita portuguesa, desde o social-socialista PS ao CDS-PP, mas principalmente no PSD cujo aparelho partidário é totalmente controlado por maçons desde a ascensão de Cavaco Silva - embora este não seja membro, mas sempre foi de facto apoiado por maçons ligados ao sector empresarial e financeiro do PSD) e a própria Maçonaria (seja o GOL ou a GLLP) um dos principais entraves se não mesmo o principal travão à Regionalização e total democratização do país.

Tudo é feito nas entranhas, nas negociatas e nos corredores do poder total com discrição e pela calada, tal é a influência que eles já têm dentro das instituições do estado.

A Maçonaria através das suas lojas maçónicas que atentam contra a legitimidade do Estado democrático, por exemplo a Loja "Mozart" da GLLP/GLRP (dos seus cerca de 30 membros 80% são do PSD, 10% do PS e 10% de "independentes" afetos ao CDS-PP, entre empresários, banqueiros, magistrados, juízes, "espiões" e coronéis militares) está "vocacionada" exclusivamente para a conquista do poder político e o tráfico de influências como o comprovam os inúmeros "espiãozinhos" faz-de-conta das secretas (o profissionalismo em Portugal é uma coisa que deixa muito a desejar, desde a mediocridade e a irresponsabilidade das elites e gestores, passando pelo vedetismo e a prostituição ao capital dos quadros intermédios e da média-burguesia até ao laxismo e o "fica pra manhã" de muitos cá em "baixo" na pirâmide social), os policias, os juízes e magistrados, os empresários e banqueiros e muitos deputados e líderes do PSD que fazem parte desta loja que legalmente é uma seita hermética ou secreta (para quê tanto segredo? eles querem esconder o quê? só coisas más e não aceites socialmente são geralmente escondidas da opinião pública, não é assim?) que foi (re)fundada em 1991 pelas fações mais direitistas e elitistas do regime (esta obediência ao contrário da GOL não sobreviveu ao Estado Novo) para o assalto final ao poder e ao controlo do Estado português (que conseguiram na quase totalidade!) - na nossa modesta opinião, os diversos serviços do Estado deviam ser mais seletivos e rigorosos a selecionarem ou a contratar os seus funcionários públicos pagos pelo erário público e não por privados, porque a continuar assim qualquer dia contratam um desequilibrado mental ou um travesti prostituto profissional a abanar o rabo a qualquer empresa capitalista para os serviços secretos tugas ou para as outras instituições do Estado - as maçonaria é uma seita satânica-burguesa materialista, mas de facto não passa de uma associação criminosa cujos membros estão infiltrados nas mais altas estruturas do estado e das grandes empresas (como é o caso da empresa "Ongoing" cuja administração é composta em grande parte por deputados, ex-deputados ou dirigentes do PSD que são maçons) contudo, ela não se esgota no assalto ao poder político e financeiro, ela vai muito mais além com os seus tentáculos mafiosos e que põem em causa as instituições e o funcionamento do próprio Estado democrático que ela (através dos seus membros infiltrados) controla como um polvo.

Contudo, embora não hajam muitas diferenças entre as diferentes obediências maçónicas ou maçonarias, pelo menos no essencial, deve-se salientar de que o GOL (tendencialmente mais social-democrata e liberal) por exemplo é mais aberto e vocacionado para a atividade político-social e cultural, enquanto que a maçonaria regular representada atualmente em Portugal pela GLLP/GLRP (tendencionalmente mais conservador e monárquico) que